PONTOS TURÍSTICOS

Parque das Águas Jacob Simião

Localizado na Região Central de Piraquara, o Parque das Águas Jacob Simião conta com dois lagos, dois vertedouros, decks, bosque, pista de caminhada, mirantes com vista panorâmica, palco com arquibancada, playgroud infantil, academia ao ar livre, quiosque, banheiros, estacionamento, paisagismo e arborização o local recebe centena de pessoas diariamente e é espaço para diversas atividades esportivas e culturais do município.

O parque é aberto de segunda à domingo, das 6h00 às 20h00.

Telefone para contato: (41) 3590-3500

Barragem do Cayuguava – Piraquara I

O crescimento da população de Curitiba e Região Metropolitana criou a necessidade da construção desta represa para garantir a distribuição de água. A barragem do Cayuguava foi inaugurada em 08 de março de 1979, sendo a primeira grande Barragem de acumulação de água para abastecimento público do Paraná. Ela foi construída com capacidade para 23 bilhões de litros de água, aumentando em 8,5%, ou 600 litros por segundo a oferta de água para Curitiba e Região. O empreendimento tem dupla finalidade: armazenar água bruta, disponibilizando mais matéria-prima para enfrentar os períodos de estiagem e regular a vazão do Rio Iguaçu. Com a sua capacidade, ela garante o abastecimento de água contínuo para cerca de 350 mil pessoas.

Barragem Piraquara II

A Barragem Piraquara II, localizada na região do Alto Iguaçu, teve sua construção iniciada em 2003 e foi inaugurada em 2 de setembro de 2008. A Barragem possui um reservatório de 21 milhões de metros cúbicos de água e é uma das quatro Barragens que compõem o sistema de regularização e reforço para o abastecimento de água da capital. Estas Barragens são: Piraquara I e II, Iraí e Passaúna. Com essa capacidade, o reservatório garante o abastecimento para mais de 650 mil habitantes em Curitiba e outros seis municípios da Região Metropolitana. Para a construção do aterro foram necessários 364 mil metros cúbicos de terra compactada e a área alagada foi 5,64 Km². A barragem tem 17 metros de altura e 670 metros de comprimento. Nesta unidade são produzidos 1.140 litros de água por segundo, sendo que a Região Metropolitana consome cerca de oito mil litros de água por segundo.

Estação Piraquara

Piraquara praticamente foi criada pela Estrada de Ferro, construída a partir de 1880, cuja planta da futura cidade, foi feita pelo Eng.° Ferroviário Jorge Benedicto Ottoni. Piraquara constituiu uma das primeiras experiências em planejamento urbano. A cidade desenvolveu-se em torno da estação onde surgiram serrarias e engenhos de mate. As grandes florestas de araucária da região seriam o principal produto de transporte da nova Estrada de Ferro e uma das razões de sua viabilidade econômica. Surge uma Piraquara próspera na indústria madeireira, que se estendeu por toda a região. Atualmente, na estação encontra-se instalada a loja Empório SMA que comercializa produtos coloniais e recebe turistas e visitantes para café e almoço no fogão à lenha

Linha Férrea

A construção da ferrovia começou em 1880, mas era considerada impossível por engenheiros europeus. O objetivo da ferrovia era estreitar a relação entre as cidades do litoral paranaense e a capital, além de ligar o Porto de Paranaguá aos sul do Brasil, para a distribuição dos grãos, garantindo o apoio ao desenvolvimento econômico da região. Trabalharam nesta obra mais de nove mil homens, de Curitiba e litoral, que vieram da lavoura. O esforço deles, de engenheiros e de outros profissionais resultou numa das mais ousadas obras da engenharia mundial. Em 02 de fevereiro de 1885 a ferrovia foi inaugurada. Participaram da primeira viagem engenheiros, autoridades federais e locais, jornalistas e outros convidados, e a viagem entre Paranaguá e Curitiba durou nove horas. A Ferrovia tem 110 quilômetros de extensão, com centenas de obras de arte da engenharia como 13 túneis ativos e um desativado, 30 pontes e inúmeros viadutos de grande vão. Destacam-se a Ponte São João, com 55 metros de altura, e o Viaduto do Carvalho, assentado sobre cinco pilares de alvenaria na encosta da rocha.

Chaminé – Barragem Piraquara I

A chaminé de tijolos, que emerge do lago da Represa Cayguava, pode ser vista por quem caminha pelas trilhas da região ou passeia de trem pela Serra do Mar, logo depois do Túnel Roça Nova. Muitas pessoas acreditam que a chaminé é remanescente de uma antiga olaria ou serraria que foi submersa quando com a criação da represa, em 1979. Porém, em 2009, o engenheiro agrônomo e professor Roberto Cobbe veio a Curitiba e trouxe uma série de fotografias feitas por seu pai, Pedro Vicente Cobbe, em suas andanças pela Serra do Mar na década de 1930. Uma das fotos mostrava uma construção com uma chaminé muito alta e tinha uma anotação: casa de bomba. Ao ver a imagem, o pesquisador e montanhista paranaense Nelson Luiz Penteado Alves, que estava pesquisando a origem da chaminé, lembrou de suas caminhadas pela Serra e associou a chaminé ao que restava da antiga casa de bomba. A função dela era elevar as águas do Rio Cayguava, reforçando o abastecimento da Represa do Carvalho, que armazenava a água consumida em Curitiba até meados do século 20.

 Igreja Matriz Senhor Bom Jesus dos Passos

A inauguração da atual Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus dos Passos aconteceu em 1921. O Padre Lecont, francês, foi o responsável pela iniciativa da construção da Matriz, com muita persistência. Antes disso, os trabalhos religiosos em Piraquara, por volta da segunda metade do século XIX, eram realizados pelo desejo dos poucos moradores da região. Com o início das obras da ferrovia e o movimento provocado com a chegada de novos moradores, o povo sentiu a necessidades de ter uma igreja. Assim, um grupo se uniu e construiu uma pequena capela de madeira, por volta de 1978. Em data não determinada, a Baronesa do Cerro Azul ofereceu à capela uma imagem do Senhor Bom Jesus dos Passos, a quem essa passou a ser dedicada. O Senhor Bom Jesus dos Passos é o padroeiro de Piraquara e seu dia é comemorado em 06 de agosto. No dia 1º de julho de 1923 realizou-se a colocação dos sinos na torre da Matriz, com uma missa de ação de graças. Em 1927 iniciaram as obras para a construção da primeira casa paroquial, que já foi reconstruída duas vezes. Em 1931 foi construída a escadaria de pedras em frente à Matriz.

Túnel de Roça Nova

O Túnel Roça Nova é o décimo terceiro túnel da Ferrovia Paranaguá – Curitiba. Com mais de 450 metros de extensão é considerado o maior túnel da Serra do Mar. Fica localizado a uma altitude de 955m, sendo o ponto culminante do trecho férreo. Foi construída entre 1880 a 1885, onde a viagem inaugural foi em 05 de fevereiro de 1885 e durou 9 horas, ocupando 2 horas para almoço em Cadeado. A estrada de férrea tem um significado especial para Piraquara, foi a partir dela que a cidade se desenvolveu. Dentre os anos de 1880 a 1885, em que foi construída, a economia piraquarense começou a ser movimentada em função da obra, atraindo muitos moradores para a região no entorno das duas estações – Piraquara e Roça Nova, ainda existentes.

Estação Roça Nova

Situa-se no ponto culminante da estrada de ferro, a 952,03m de altitude, marcando o início do planalto de Curitiba. A estação de passageiros e mercadorias foi inaugurada em 2 de fevereiro de 1885, inicialmente um prédio em madeira, posteriormente foi construída a atual estação.

Aldeia Indígena Araça-í

Localizada nas margens da Barragem Cayuguava, a Aldeia Araçaí é habitada por indígenas da etnia Guarani M’bya. Guardiões das tradições e ritos sagrados, manifestados na produção de artesanatos, na preservação da língua, nas rezas e na prática da medicina tradicional.

Seu acervo mitológico é rico e complexo, garantindo a transmissão ancestral de suas tradições e costumes segundo seus princípios. Seu artesanato é produzido com referência de objetos da cultura material e imagens de sua cosmologia. A língua guarani se constitui como o elemento mais forte de preservação da identidade da aldeia. O canto, a dança e a música são elementos presentes no cotidiano da comunidade, nas colheitas, no acolhimento dos visitantes e nos rituais sagrados. 

Os agendamentos para visitação podem ser feitos de segunda à sexta-feira, das 8h00 às 17h00 pelos telefones do Departamento de Turismo – DETUR: (41) 3590-3320 / (41) 3590-3321 ou pelo e-mail: turismo@piraquara.pr.gov.br

Parque Trentino - Colônia Santa Maria

O patrimônio histórico e cultural é outro atrativo de Piraquara, pois a cidade congrega a única colonização de trentino-tiroleses do Paraná. Eles são originários de Tirol e Trento, localizada na Europa, em região de altas montanhas que, na época, pertencia ao Império Austro-Húngaro. Eles chegaram em 1878, no município com 59 famílias totalizando 300 pessoas, que formaram a Colônia Imperial Santa Maria do Novo Tirol da Boca da Serra. Seus costumes locais, sua culinária e arquitetura foram incorporadas pela população de Piraquara, juntamente com o aspecto físico desta população. Sendo a única colônia trentina do Paraná, a Colônia Imperial Santa Maria do Novo Tirol da Boca da Serra busca resgatar a cultura e as tradições italianas, além do intercâmbio tecnológico especialmente agroturismo.

O Parque Trentino está localizado na Colônia Santa Maria, local onde se instalaram os imigrantes trentinos, que chegaram à Piraquara no ano de 1878. Por Decreto, desde 2012 o Parque é compartilhado pela Prefeitura Municipal de Piraquara, Associação Agroecológica e Turística de Piraquara – Trento Transforma, Círcolo Trentino de Curitiba e Conselho de Assuntos Econômicos da Capela Nossa Senhora da Assunção. O lugar recebe os maiores eventos da cidade durante todo o ano: Festa de Aniversário de Piraquara, Festa do Carneiro no Rolete, a que mais recebe visitantes, e a Festa Trentina, que comemora a imigração. Além destas, outras comemorações e eventos são realizados no local, que tem em sua estrutura 40 metros de churrasqueira, 22 banheiros, inclusive com acessibilidade, duas cozinhas, cabine de caixa, salão fechado com cozinha e pátio para mesas

Estrada Nova Tirol

É um espetáculo a parte, o ponto alto é a ponte que cruza a barragem Piraquara II, nela o visitante pode admirar a linda paisagem da Serra do Mar cercado por água dos dois lados. A estrada histórica foi pavimentada em paralelepípedos recentemente.

Simboliza a colonização por imigrantes italianos que vieram da cidade de Trento, no ano de 1878. Muitos de seus descendentes ainda lá residem, mantendo suas tradições. A arquitetura típica está presente nas propriedades rurais em seu entorno, onde se pode encontrar produtos agropecuários e artesanais, além de pesque-pagues, restaurantes, passeio a cavalo e outros atrativos que fazem parte do Roteiro de Turismo Rural "Caminho Trentino dos Mananciais da Serra" 

Mirante das Águas CEAM

O Centro de Educação Socioambiental Mananciais da Serra – CEAM está localizado junto à Barragem Piraquara I. O espaço tem o intuito de promover ações para sensibilização ambiental e recebe cerca de 5 mil pessoas por ano, entre estudantes, técnicos e público no geral. No CEAM o visitante poderá encontrar estrutura com banheiros e bebedouros, além de trilhas ecológicas, acervo com itens da APA Piraquara e uma grande maquete da área. Do alto do Mirante de 16 metros, localizado as margens da barragem, é possível visualizar toda a cadeia de montanhas da Serra do Mar. Para grupos que necessitem de guia, as visitas podem ser agendadas com antecedência através do e-mail visitas@sanepar.com.br ou pelo telefone (41) 3673-3310

Reservatório do Carvalho

O Reservatório do Carvalho abriga as estruturas do primeiro sistema de abastecimento de água do Paraná. No local o visitante pode conhecer o Reservatório, a Gruta de São Francisco, a Fonte do Leão, a Casa da Memória, a antiga Vila Operária, a Trilha da Chaminé, entre outras atrações. As trilhas, dentro do Parque Estadual Pico do Marumbi, podem ser feitas a pé ou de bicicleta, há estacionamento gratuito disponível no local.

O atrativo fica aberto para visitação ao público dois fins de semana por mês em datas disponíveis no calendário divulgado pela Sanepar e pela Prefeitura. Em dias que não esteja aberto para visitação, poderá se visitar o local através de agendamentos com antecedência mínima de uma semana. Sua importância no desenvolvimento paranaense e as suas belezas naturais transformam o local em um inigualável conjunto de características históricas, culturais e ambientais.

Vila do Colono

A Vila do Colono é formada por pequenas unidades de processamento administradas pela Cooperativa de Processamento Alimentar e Agricultura Familiar Solidária de Piraquara – COPASOL TRENTINA. O local mistura o processamento à venda de produtos coloniais como queijos, vinhos, pães, geleias, sucos e hortaliças, além de artesanato local e souvenirs.

Horário de funcionamento do Empório Vila do Colono:

De terça à domingo das 9h às 17h30.

Telefone para contato: (41) 3590-3880 / (41) 99973-8164

Endereço: Rua Nova Tirol, 2523 – Capoeira dos Dinos

Compartilhe seu conteúdo nas redes sociais: